Diverso e Divertido

Eu gosto de buscar coisas únicas, inusitadas e diferente. Gosto do lado mas profundo das coisas. As notícias tem que servir a um propósito, levar a um caminho, realizar um movimento pelo bem da vida, das pessoas, do mundo.

Archive for fevereiro \22\UTC 2011

Como a mulher sabe quando vai gozar?

Posted by NudezFeliz em fevereiro 22, 2011

WP Greet Box icon

Olá! se é a primeira vez aqui, talvez queira assinar nosso RSS ou nosso nosso boletim para se manter atualizado.

Não sabe. Orgasmo não se planeja, orgasmo acontece… Seja com a penetração, com o sexo oral, com a estimulação direta ou indireta do clitóris… Cada mulher é uma mulher.

Imagem: Cindy A., January 2001, por Dr John2005, no Flickr

Se pudesse descrever um orgasmo, o que acho impossível já que é uma coisa extremamente subjetiva e pessoal, eu diria que é um conjunto de estímulos (visuais, táteis, olfativos, gustativos, auditivos…) que por algum instante se conectam todos e provocam uma espécie de sobrecarga, curto circuito (a tal petit-mort como chamam os franceses), mas que quase imediatamente reconecta.

Um ex namorado dizia que era possível perceber meu orgasmo pela minha respiração, tensão e depois pelo meu total relax… Acho que é algo mais ou menos assim. Depois do orgasmo há uma paz… rs. Onde podem me chamar de feia que não estou nem aí… rs.

* Esta pergunta foi feita originalmente no Formspring do A Vida Secreta, mas achei interessante compartilhar por aqui.

Posted in Uncategorized | Leave a Comment »

Arte arquitetônica do Egito

Posted by NudezFeliz em fevereiro 9, 2011

Posted in Uncategorized | Leave a Comment »

Sexualidade (e Homossexualidade) Através dos Tempos

Posted by NudezFeliz em fevereiro 8, 2011

Neste domingo o Diário do Grande ABC trouxe bons textos relacionados à Sexualidade. “Faz parte da Nossa História“, de Marcela Munhoz, e “Filmes e Novelas Transpiram Sexualidade“, de Ângela Correa. Indico a leitura integral de ambos (links no final do post), mas resolvi fazer uma pequena colcha de retalhos, dar também meus pitacos e comentar um pouco o que já foi muito bem abordado lá.

O Que é Sexualidade?

Sexualidade não significa apenas sexo. “Implica em dimensões variadas, sendo mais do que o genital ou para reprodução”. Refere-se a um conjunto de características psicológicas e comportamentais que define o sexo de uma pessoa, mas também envolve diferenças anatômicas, gênero (masculino e feminino), afetividade que cria laços com o outro, relação com o ambiente, produzindo identidades únicas.

Citação de Oswaldo Rodrigues Júnior, psicólogo, do Instituto Paulista de Sexualidade, no Diário do Grande ABC

E apesar de desde sempre a sexualidade humana ser um tema relevante, sempre foi também extremamente controverso. O contexto social foi preponderante no entendimento da mesma.

A Homossexualidade na História

A homossexualidade, por exemplo,  cujo conceito como é hoje sequer existia, ao longo de diferentes épocas já foi tanto promovida quanto repudiada.

Na Grécia antiga, é sabido que o relacionamento homossexual entre mestres e tutelados – inclusive a pederastia – era extremamente comum. No entanto, em 1895 Oscar Wilde, autor de O Retrato de Dorian Grey,  foi julgado e condenado a dois anos com trabalhos forçados por “cometer atos imorais com diversos rapazes”.

Mudam os tempos, muda a maneira de ver um mesmo tema.

Cenas do filme Alexander, com Colin Farrel, em um tempo onde a bissexualidade masculina não era questionada.

Através de representações artísticas, é possível observar que desde a antiguidade a pluralidade sexual masculina sempre foi aceita (era muito comum o relacionamento sexual e afetivo entre guerreiros, independente de suas mulheres – que na contramão lhes era negada a manifestação de prazer – e filhos que ficavam para trás.

Alexandre – o Grande, dizem, foi um exemplo bem típico deste comportamento socio-sexual. Aliás, fica a dica do filme Alexandre, de 2004, que retratou não só as conquistas e glórias do grande conquistador, mas também sua sexualidade diversificada.

Período Clássico à parte… Vale lembrar que até 1973, quando a Associação Americana de Psiquiatria a retirou da lista de transtornos,  a homossexualidade (outrora chamada de homossexualismo) era considerada uma doença.

A Sexualidade e as Leis

E tão logo a sociedade se organizou, surgiram as leis, leis criadas pelos poderosos (Religião e Governo) para agradar suas necessidades.

O Código de Hamurabi, conjunto de leis criadas na Mesopotâmia, por volta de 1.700 a.C, pelo rei Hamurabi. Entre as leis, uma determinava que o casamento do homem seria com uma única mulher e que só poderia tomar uma segunda esposa se a primeira fosse estéril.

Citação de Peter Stearns, historiador Norte Americano, autor do livro História da Sexualidade, no Diário do Grande ABC

E apesar disso ter mudado aqui e ali, até os dias de hoje ainda é o poder (e nessa vale Executivo, Legislativo e também Religião) quem dita as leis do pode ou não pode do sexo. Da validação do nome de transsexuais, direito à adoção de orfãos por homossexuais,  à eterna luta pela legitimação da união civil entre pessoas do mesmo sexo.

Ah, esses poderosos…

A Homossexualidade no Cinema

E o tema que ao longo dos anos sempre foi meio marginal, à partir dos anos 70 passou a ser recorrente no circuito comercial. Á princípio, com ares de drama extremamente velado em Um Dia de Cão (1975), indicado a seis Oscars e ganhador de uma por melhor roteiro original. Neste filme  a motivação do assalto era conseguir dinheiro para a mudança de sexo do amante homossexual de um dos assaltantes e foi baseado em fatos reais.

Mas foi posteriormente, com ares de pastelão (A Gaiola das Loucas, 1978, inclusive com indicações ao Oscar), o que provavelmente foi um facilitador, afinal o humor sempre abre portas para os temas mais diversos que o tema ganhou o circuitão. Até então, a homossexualidade não havia sido retratada como um relacionamento natural, estável e saudável entre duas pessoas, havia sempre uma conotação de promiscuidade ou doença.

Desde então o cinema tem flertado aqui e ali com personagens homossexuais. Nota especial para o excelente As Horas (2003), baseado na obra Mrs Dalloway de Virgínia Wolf, onde a homossexualidade feminina é abordada em três histórias que se confundem, mesmo sendo contadas em diferentes épocas (anos 20, 2ª Guerra e dias atuais) e contextos sociais.

No entanto, foi  em 2005, com Brokeback Mountain, do diretor Ang Lee, que o cinema revolucionou contando a história de amor de dois cowboys (entre 1963 e 1981) e abriu ao mundo o tema sem tabus. Sendo, inclusive, indicado a oito Oscars e vencedor de três.

E depois da bela e triste historia de amor de Brokeback Mountain, outras histórias foram contadas, outros aspectos sociais. É o caso de Milk (2008), que conta a história da campanha do primeiro  político assumidamente gay dos Estados Unidos.

Ou do recente Minhas Mães e Meu Pai (2010), ainda em cartaz, onde um casal de lésbicas decide ter filhos através de inseminação artificial, engravidam de um mesmo doador e, anos mais tarde, seus filhos decidem conhecer o doador/pai biológico.

Ou seja, mudam os tempos, mudam os conflitos, mas o assunto nunca sai de evidência. Acredito que quanto maior o debate, maior a reflexão e as mudanças.

__________________________________

Citações:

Posted in Uncategorized | Leave a Comment »

O Safári perigoso

Posted by NudezFeliz em fevereiro 7, 2011

 
 
 
 

 
Apenas o capô do carro está para fora na área dos leões.

Posted in Uncategorized | Leave a Comment »

Podemos salvar? Sim nós podemos

Posted by NudezFeliz em fevereiro 7, 2011

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 


 
v
 
v
 
v
 
v  

v

Posted in Uncategorized | Leave a Comment »

Animações muito engraçadas

Posted by NudezFeliz em fevereiro 7, 2011

 

 

 

Posted in Uncategorized | Leave a Comment »

Você se adaptaria ao sexo “ecológico”, o ecossexo?

Posted by NudezFeliz em fevereiro 2, 2011

A onda sustentável chegou ao hábito mais instintivo do homem: o sexo. Se depender da jornalista espanhola Begoña García, autora do recém-lançado livro Ecosex, as regras ecologicamente corretas também valem para quando você vai transar. A autora diz que o livro é um ensaio com humor, e que aplica o consumo de produtos com critérios ambientais e sustentáveis em situações amorosas, eróticas e sexuais. Vamos aos seus conselhos:

Segundo ela, a maioria dos brinquedos sexuais, como vibradores, bonecas infláveis e simuladores de vagina e ânus, é fabricada com materiais tóxicos – caso do PVC, do silicone e dos metais cromados. Então, você, como cidadão verde, deveria procurar um apetrecho mais amigo da natureza: “Se tiver que escolher entre um vibrador de borracha e um de vidro, prefira sempre o de vidro, que contamina menos em sua fabricação e dá um prazer muito parecido”, diz. Existe vibrador de vidro? Me ajudem com essa dúvida! E nem a cenoura e o pepino de verdade se salvam (!!!), já que contêm pesticidas se não forem orgânicos.

García fala até em desligar a luz. Imagine a quantidade de energia elétrica que poderia ser economizada se a luz fosse apagada durante as relações sexuais? Então, se você quer enxergar seu parceiro, assistir o rebolar de suas curvas, o suor correndo sobre sua pele, ou as expressões de seu rosto, a hora certa para transar é durante o dia. À noite, o escuro te impedirá de tudo isso.

Os conselhos da jornalista vão além. As comidas que invariavelmente podem entrar na brincadeira, seja em forma de jantar afrodisíaco, seja para dar graça à relação, devem ser alimentos ecológicos (acho que ela quer dizer orgânico). As roupas, que fazem parte da sedução, não devem ser de poliéster ou couro. Segundo ela, é possível ficar “ecoatraente” com peças de algodão ecológico, linho ou seda. Ah, e ao marcar o encontro, lembre-se de que carro polui. Então vá de transporte público, bicicleta ou patins (e chegue malhado, suado e muito cansado…).

Eu não sei quanto a você, mas ficar pensando no planeta na hora mais prazerosa do dia – da semana ou do mês, para alguns (vai saber como anda a saúde sexual de cada um…) – não rola mesmo. A moça me dá um monte de sugestões para a hora H, que podem tornar tudo chato e regrado. Não é bom simplesmente deixar rolar?

Para entrar na onde verde, decidi criar umas outra regrinhas (estapafúrdias, que fique bemmmm claro).
– prefira a banheira ao chuveiro na hora de transar
– a água da banheira deve ser gelada, para economizar energia
– transar no inverno só debaixo do cobertor, para não gastar energia elétrica com o aquecedor
– em vez de camisinha (que não é sustentável), por que não usar tripa de carneiro, como nossos antepassados?
– use babosa como gel lubrificante
– jogue seus vibradores, que são feitos de materiais tóxicos e consomem bateria, e substitua por legumes orgânicos
– antes de ir para o motel, ligue para saber qual é sua pegada de carbono; se os quartos têm ar condicionado, aquecedor central etc etc. Prefira a mata virgem aos moteis
– além da bicicleta e dos patins, você pode usar o skate para encontrar seu par
– prefira a tabelinha aos hormônios da pílula anticoncepcional (nossa, essa é uma dica que eu JAMAIS seguiria)
– chantilly, nem pensar! Sua embalagem em spray polui o meio ambiente. Prefira creme de leite fresco orgânico

Você se adaptaria ao sexo “ecológico”? Eu não. Será que o pessoal do Blog do Planeta tem algo a dizer sobre isso?

Comente e siga o Sexpedia no Twitter

Posted in Uncategorized | Leave a Comment »

Os Santos pecadores

Posted by NudezFeliz em fevereiro 2, 2011

Nem todo santo, foi tão santinho assim desde o começo. Em suas biografias muitos dos santos católicos apresentam extensas listas cheias de pecados.

De prostitutas luxuriosas a caçadores de cristãos cheios de ira, o relicário de santos apresenta todo tipo dos ditos “pecados”. Conheça hoje alguns deles.

 

 

 

Os Santos Mais Pecadores

Os Santos Mais Pecadores

 

Santa Margarida de Cortona

Os Santos Mais Pecadores

Luxúria

 (ai que delícia)

 
Nasceu em Laviano, Toscana, Itália em 1247 e foi criada por uma família pobre quando a sua mãe morreu e ela tinha sete anos. A aspereza de sua madrasta e sua beleza levou Margarida a ser seduzida por um nobre Montepulciano quando tinha 18 anos. Ela o seguiu até o seu castelo e tornou-se sua amante por 9 anos, sempre acreditando nas suas promessas de casamento. Ela morreu em Cortona em 22 de fevereiro de 1297. Foi canonizada pelo Papa Benedito VIII em 1728. Ela e a padroeira da mulheres penitentes.

 

Os Santos Mais Pecadores

Os Santos Mais Pecadores

Diversos Papas

Os Santos Mais Pecadores

Gula

 
Dietas nunca foram o forte da galera lá do Vaticano, que sempre foi famoso pelos seus banquetes. O próprio papa Paulo II, inclusive “morreu pela boca”. Em 1471 caiu duro após comer 2 melões sozinhos. Quando o papa Leão X assumiu, foram 13 pratos (entre doces e salgados) e no final um terneiro inteirinho servido com vinho branco (para quem não sabe um terneiro é um bezerro de até 1 ano).

 

Os Santos Mais Pecadores

Os Santos Mais Pecadores

São Camilo de Lellis

Os Santos Mais Pecadores

Avareza

 
O pecado da avareza, não esqueçam também é o pecado da ganância, e São Camilo de Lellis pecou muito por isso. No séc.16 ele tinha tudo para seguir uma carreira militar de sucesso, mas foi seduzido pela jogatina. Gastava todo o soldo em jogo e só quando estava na miséria, mendigão mesmo resolveu enveredar pela vida religiosa.

 

Os Santos Mais Pecadores

Os Santos Mais Pecadores

Papa Bonifácio VII

Os Santos Mais Pecadores

Inveja

 
Disputas papais cheias de cardeais bonzinhos à espera de fumacinah branca? nem sempre. para chegar ao cargo máximo da Igreja, alguns pontífices são acusados de mandar matar os seus antecessores. Bonifácio VII foi o mais cruel deles: estrangulou com as próprias mãos Bento VI em 974. Foi expulso de Roma e voltou quatro anos depois e ainda depôs Bento VII.

 

Os Santos Mais Pecadores

Os Santos Mais Pecadores

São Sebastião

Os Santos Mais Pecadores

Ira

 
São Sebastião era um soldado que teria se alistado no exército romano por volta de 283 d.C. com a única intenção de afirmar o coração dos cristãos, enfraquecido diante das torturas. Era querido dos imperadores Diocleciano e Maximiliano, que o queriam sempre próximo, ignorando tratar-se de um cristão e, por isso, o designaram capitão da sua guarda pessoal – a Guarda Pretoriana. Por volta de 286, a sua conduta branda para com os prisioneiros cristãos levou o imperador a julgá-lo sumariamente como traidor, tendo ordenado a sua execução por meio de flechas.

Gostou? Não gostou? Não concorda com nada do que eu disse? Deixe seu recado.

Quer entrar em contato conosco, dar a sua sugestão de assunto que gostaria de ver por aqui: blogdoselback@gmail.com.

Espero que tenham gostado, até o próximo post, divirtam-se e até logo.

via pt-br.paperblog.com

Posted in Uncategorized | Leave a Comment »

Arquitetos criam casa usando material de construção encontrado nos arredores

Posted by NudezFeliz em fevereiro 2, 2011

Ao redor desta casa moderna, num raio de 15 quilômetros, estão várias casas e fábricas abandonadas. Marcando cada uma delas no Google Earth, os arquitetos reutilizaram os materiais. Nada foi desperdiçado – nem um guarda-chuva, que teve a armação usada na iluminação. E pelo design, não é o tipo de coisa que costuma vir com o selo “reciclado”.

A casa, que fica em Eschede, na Holanda, não é feita só de materiais reutilizados, mas os números impressionam – na parte exterior, a reciclagem rendeu 60% da produção, enquanto a área interna foi feita com incríveis 90% de materiais resgatados. E, apesar de tudo isso, o design continuou impressionante. Palmas para o pessoal da 2012Architects, provando que é possível pensar antes nos materiais para depois desenhar a casa. [Dwell via Inhabitat]

‘);

Posted in Uncategorized | Leave a Comment »

Entendendo as Mulheres

Posted by NudezFeliz em fevereiro 1, 2011

Um dos maiores desejos do homem é entender as mulheres. Já buscamos em todos os lugares e a resposta é mais incompreensivel do que plausivel. Explicar o sentido do universo é mais facil de entender pelo homem do que tentar explicar o que uma mulher pensa.

…hmmm. Será que os homens querem mesmo saber o que as mulheres pensam?! – Tirinha: Fábio Moon

Alguns filmes tentaram mostrar o que se passa dentro dessas mentes incriveis, mas acredito que não chegou nem a 2% da realidade. Um filme que tenta mostrar isso é ‘Do Que As Mulheres Gostam’ com Mel Gibson e Helen Hunt.

No inicio dos tempos (lá no inicio mesmo) era mais fácil (e mais machista). Para um homem conseguir algo de uma mulher bastava puxar pelos cabelos e arrastar para a caverna. Depois com o passar do tempo, começou-se a tratar as mulheres como um bibelô, desde que permanecessem caladas, com seus vestidos espetaculares e extremamente rodados.

E o tempo foi passando; e as mulheres mudando; os sutiãs foram queimados e a ordem das coisas mudaram. Tanto que hoje em dia não é dificil ter homens em casa cuidando das crianças, enquanto a mulher provê a sobrevivência da ‘matilha’.

Há tempos atrás, o homem era o provedor das condições de sobrevivência. E quando chegava ao lar, as crianças tinham que estar devidamente alimentadas, arrumadas e se preparando para dormir. A casa completamente em ordem e a esposa disposta a um contato intimo.

E os homens ainda se perguntavam do porque do cansaço…

Quem nunca quis chegar em casa e encontrar a namorada/noiva/esposa com aquela camisola de seda, com uma taça do seu vinho predileto em mãos e uma cara de quem vai te devorar vivo de tanto sexo?

É… Não existe mulher como Aline… – Tirinha: Adão Iturrusgarai

“Ah, mas a minha mulher nunca fez isso!”.

Se esse questionamento passou pela sua mente agora, vamos tentar digerir isso de uma forma legal.

Quando foi a ultima vez que você, homem, chegou para a sua companheira, qualquer que seja o titulo que dê a ela e deu uma lingerie dizendo que pensou nela o dia inteiro com aquela roupa?

Quando foi a ultima vez que você disse a ela o que realmente sente e quanto ela é importante para você? Será que já tentaram compreender que as mulheres não querem ser simplesmente bajuladas e sim desejadas?

Não… Esse não é um texto sentimentaloide. É simplesmente um texto para conscientização.

Os homens vivem dizendo que as mulheres são complexas (não discordo disso), mas a verdade é que não conseguimos (e talvez nunca conseguiremos) compreender as nuances que compõem o ser chamado mulher. E nem por isso iremos desejá-las menos.

Eu gostaria de entender as mulheres. Alguns pontos mais que outros, até mesmo por receio de que percam o mistério (rs… piada boba!)…

Mas… Quer saber realmente o que gostaria de saber sobre esses seres magnificos? O que elas sentem no momento de um orgasmo… Como seria a descrição de uma poetisa sobre o orgasmo? A descrição de uma psicologa; de uma dominadora e/ou de uma submissa?

Variáveis podem surgir aos montes e mesmo assim ainda não chegaríamos a nem um terço e em parte é isso que faz com que nossa mente viaje ao observar uma mulher se arrumando, maquiando, gozando…

Pequenas atitudes podem até não ajudar você a entendê-las, mas com certeza vão dar um up no relacionamento.

E porque as mulheres não são mais como antes… Atitude, mané! – Tirinha: Fábio Moon

Sendo assim, arrisque mais, deseje mais, curta mais. Não é porque o tempo passou que tem que cair na mesmice, não é mesmo?!

Vai à luta rapaz, mulher não tem tecla SAP não…

___________________________

As tirinhas que ilustram o post são da personagem Márcia de Fábio Moon e Gabriel Bá e também a fabilosa Aline de Adão Iturrusgarai

___________________________

Dr. Rom é um estudante universitário que coleciona emails, action figures, livros, filmes e chapéus. Dentre outras peças do seu acervo de colecionáveis está a paixão por fotos e a escrita. E que vê na escrita sobre assuntos safados uma forma de libertar o mundo de sua prisão de tabus. Leia mais textos do moço clicando aqui.

Posted in Uncategorized | Leave a Comment »

« Entradas Anteriores